Ermida Nossa Senhora da Paz

Na extremidade norte da cerca do Convento da Esperança, através de um caminho estreito, coberto por uma latada de videira, chega-se a uma pequena Ermida da invocação de Nossa Senhora da Paz. Esta ermida eleva-se um pouco acima do solo e apresenta um frontispício muito singelo. Tem uma única porta com gradeamento de madeira e no lado da ombreira situa-se uma pia de água benta encimada com uma pequena cruz. Do lado exterior existem dois bancos de pedra.

Esta Ermida em 1702, foi reedificada por iniciativa de Madre Margarida de S. Sebastião, com a ajuda das Madres Francisca do Livramento, Isabel de São João e Filipa de S. José, que contribuíram nas despesas.

O retábulo desta Ermida tem cinco nichos com várias imagens e no do meio a Imagem da padroeira.

No seu interior as paredes são revestidas de magníficos azulejos azuis e brancos, representando os mistérios marianos do Nascimento, Apresentação da Virgem no templo, Anunciação, Desposórios, Adoração dos Pastores e Adoração dos Magos, bem como a representação do Cenáculo, Jesus no horto, Flagelação, Jesus no pretório “Ecce Homo”, o Caminho do Calvário e a Crucificação.

Enquadrando a porta, os azulejos representam na parte superior Nossa Senhora em Glória e de cada lado S. Francisco e Santo António.

Quando a Imagem do Senhor Santo Cristo deu entrada no Convento da Esperança, em 1541, trazida pelas religiosas da Recoleta da Caloura, foi colocada nesta Ermida, permanecendo aí por largos anos sem que lhe fosse prestado qualquer culto.

Na sequência da intercessão miraculosa da Imagem do Senhor Santo Cristo durante uma tentativa de furto nesta Ermida, foi decidido mudá-la de lugar, sendo levada em procissão para um altar no Coro Baixo, onde Madre Teresa, anos mais tarde, haveria de a encontrar.